Lançamento da iniciativa dos Clubes da Paz.

Sexta-feira, 07 de Maio de 2021


Na cidade da Beira, membros do Governo de Moçambique e do partido político da oposição, Renamo, juntaram-se a parceiros internacionais e funcionários do Parque Nacional da Gorongosa para lançar a iniciativa ‘Clubes da Paz’ na área da Gorongosa. A iniciativa dos Clubes da Paz abre portas de acesso através de um processo de Alfabetização e Educação de Crianças, Jovens e Adultos, onde esperamos que os ex-combatentes se juntem aos grupos constituídos ao nível local e a partir daí, gradualmente incluam as suas famílias nos outros programas de desenvolvimento, nomeadamente de saúde, agricultura, e outros meios de subsistência.

Fila da frente (da esq. para a dir.): António Costa Moura (Embaixador de Portugal), Lourenço Bulha (Governador de Sofala), Stella Zeca (Secretária de Estado de Sofala), Pedro Muagura (Administrador do PNG). Fila de trás (da esq. para a dir.): Mateus Meque (Ponto focal do DDR), Mualua Pais (Secretariado da Paz), Artur Jaime (Ponto focal da Renamo) e Américo Boaze, Elisa Langa, Gil Mahara e Ângelo Levi (todos do PNG).

Em Agosto de 2019, foi assinado mais um acordo de paz entre o Governo de Moçambique e o partido político de oposição RENAMO. Este acordo inclui o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) para os ex-combatentes. Trata-se de um processo longo e delicado que requer ligação e cooperação entre as estruturas distritais e as comunidades que receberão ex-combatentes e a sociedade em geral.

Durante a cerimónia, todos os intervenientes, e nomeadamente o Governador da Província de Sofala, Lourenço Bulha e a Secretária de Estado na Província de Sofala, Stella Zeca, destacaram a importância da iniciativa “Clubes da Paz” para que o “R” do processo DDR seja levado a cabo com sucesso.

No seu discurso o Embaixador de Portugal, António Costa Moura, manifestou o empenho que Portugal tem para que esta iniciativa contribua para a Paz em Moçambique e destacou a ligação continuada que Portugal tem tido com o Parque Nacional da Gorongosa (PNG), nomeadamente nos apoios à construção do Centro de Educação Comunitária, ao Laboratório de Biodiversidade, ao Mestrado em Biologia de Conservação, ao Projecto do Café da Gorongosa, à oportunidade de estudar em Universidades Portuguesas em licenciaturas, mestrados e doutoramentos da qual têm usufruído diversos estudantes da Gorongosa.

É importante referir que o Parque Nacional da Gorongosa foi o palco onde decorreu a cerimónia do acordo de cessação das hostilidades. Por isso, fazer parte dos esforços de construção da paz na região, através dos processos de reconciliação e reintegração dos ex- combatentes, bem como de seus familiares e parentes, torna-se igualmente um dos compromissos do PNG.

Sobre o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua

No domínio da Cooperação, o Camões, I. P., tem por missão propor e executar a política da Cooperação Portuguesa e coordenar as atividades de cooperação desenvolvidas por outras entidades públicas que participem na execução daquela política.

A Educação, Formação e a capacitação vocacional são consensualmente reconhecidas como uma das mais-valias da Cooperação Portuguesa, fundamentais para o desenvolvimento do capital humano e social, para a redução da pobreza e para se alcançar um desenvolvimento sustentável com efeitos multiplicadores noutros domínios do desenvolvimento.

Sobre o Projecto da Gorongosa

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG) em Moçambique é talvez a maior história de restauração da vida selvagem em África. Em 2008, foi estabelecida uma Parceria Público- Privada de 20 anos para a gestão conjunta do PNG entre o Governo de Moçambique e a Fundação Carr (Projecto de Restauração da Gorongosa), uma organização sem fins lucrativos dos EUA. Em 2018, o Governo de Moçambique assinou uma prorrogação do acordo de gestão conjunta por mais 25 anos. Ao adoptar um modelo de conservação do século XXI para equilibrar as necessidades da fauna bravia e das pessoas. O PNG está a proteger e salvar esta bonita natureza selvagem, devolvendo-o ao seu devido lugar como um dos maiores parques nacionais da África.

O PNG foi descrito como um dos mais diversos parques da Terra, cobrindo uma vasta extensão de 400.000 hectares. Nos últimos anos, o Projecto da Gorongosa, com o apoio da Administração Nacional de Áreas de Conservação de Moçambique (ANAC), garantiu a protecção de uma população em recuperação de Leões neste ecossistema, reduziu com sucesso ameaças-chave e viu o Parque reconhecido como um dos “Last Wild Places” pela National Geographic e como um dos “World’s Greatest Places” pela TIME Magazine.

Se desejar receber mais informações sobre este assunto, por favor ligue para Vasco Galante através de +258 82 2970010 (WhatsApp) ou envie email para vasco@gorongosa.net.

Para informações de carácter genérico, por favor consulte http://www.gorongosa.org

Pode seguir as actividades quotidianas do Parque Nacional da Gorongosa aqui: https://www.facebook.com/gorongosa/

Leave a Reply

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: