Susana Carvalho, (Directora Adjunta de Paleontologia e Primatologia da Gorongosa) ganhou uma Bolsa da Academia Britânica.

(Foto – Susana Carvalho e o fiscal Herculano Beca no Parque Nacional da Gorongosa, Moçambique)

Quinta-feira, 6 de Maio de 2021


A Dra. Susana Carvalho fornece abaixo detalhes sobre o seu projecto, que se intitula: ‘Aprendizagem da Nossa Evolução Comportamental: O Bipedismo e Predação em Primatas Terrestres’.

“O bipedismo define a nossa linhagem, implica uma mudança da vida arbórea para a terrestre e, portanto, novas relações entre hominídeos e carnívoros: como as“ paisagens do medo ”influenciaram o comportamento dos primeiros hominídeos em relação ao bipedismo e à carnivoria? Esta questão ainda não foi respondida pela paleoantropologia; requer abordagens integrativas usando primatas modernos, fósseis e tecnologias que capturam o comportamento de novas maneiras. Usarei tecnologias emergentes para registar o bipedismo e a predação num primata terrestre, em paisagens semelhantes àquelas onde os hominídeos evoluíram. Vou integrar a paleoantropologia, a visão computacional e a etologia para revolucionar a forma como respondemos às perguntas sobre nossa evolução. Como parte do projecto, continuarei a treinar os primeiros primatologistas e paleoantropólogos Moçambicanos que continuarão esta linha de pesquisa para o futuro.”

Este projecto consiste numa colaboração com os professores Andrew Zisserman (Dep. Engenharia, Oxford Uni), Dora Biro (Rochester Uni e Oxford Uni), o Instituto Britânico da África Oriental (BIEA) e o Projecto de Restauração da Gorongosa (Moçambique). (Mozambique).


Macaco-cão no Parque Nacional da Gorongosa, Moçambique (Foto – Lee Bennett)


Sobre a “British Academy Mid-Career Fellowships”

O Objectivo do Prémio

O objectivo é permitir que os candidatos aprovados obtenham tempo livre do ensino normal e dos compromissos administrativos. O tempo assim adquirido deve ser dedicado à conclusão de uma parte importante da pesquisa, e a Academia também buscará evidências de um compromisso claro com uma estratégia de engajamento público e comunicação dos resultados da pesquisa durante o período da Bolsa.

O Alcance do Prémio

Os prémios apoiam investigadores individuais e comunicadores excepcionais que promoverão o engajamento público e a compreensão das ciências humanas e sociais. Na sua proposta, os candidatos serão solicitados a estabelecer planos específicos para a divulgação de suas pesquisas a um amplo público, além da publicação na imprensa e nos periódicos académicos habituais. Os prémios serão julgados pela excelência da pesquisa proposta e pela capacidade do candidato de comunicar com um público amplo. Os candidatos são convidados a indicar as maneiras pelas quais o programa proposto contribuirá para avanços na compreensão, incluindo a compreensão do público, na sua área de investigação e para a identificação de prioridades estratégicas apropriadas nas ciências sociais e humanas.

Elegibilidade

Estas bolsas são prémios para indivíduos empregados em universidades do Reino Unido ou outras instituições de ensino superior do Reino Unido, e a Academia está a procurar apoiar especialmente bolseiros em meio de carreira. A Academia não leva em consideração a idade física ou o status actual do candidato ao determinar a elegibilidade para estes prémios. Em vez disso, esses prémios têm como objectivo principal fornecer oportunidades para académicos que já publicaram trabalhos de distinção intelectual ou estabeleceram um histórico significativo como um excelente comunicador e ‘campeão’ no seu campo, e que normalmente não estão a mais de 15 anos da concessão do seu doutoramento. Ao considerar a elegibilidade, a Academia fará o devido subsídio para candidatos que tiveram interrupções de carreira e para académicos estabelecidos que não têm doutoramento.

Nível da Bolsa

Estas bolsas estão cobertas pelo regime de Custo Económico Total, mas a contribuição da Academia para o salário do Bolseiro será limitada a um limite máximo de £ 80.000. Não se espera que o valor total de um prémio exceda £ 160.000. Os prémios podem durar no mínimo 6 meses e no máximo 12 meses.

Sobre o Projecto da Gorongosa:
O Parque Nacional da Gorongosa (PNG) em Moçambique é talvez a maior história de restauração da vida selvagem em África. Em 2008, foi estabelecida uma Parceria Público- Privada de 20 anos para a gestão conjunta do PNG entre o Governo de Moçambique e a Fundação Carr (Projecto de Restauração da Gorongosa), uma organização sem fins lucrativos dos EUA. Em 2018, o Governo de Moçambique assinou uma prorrogação do acordo de gestão conjunta por mais 25 anos. Ao adoptar um modelo de conservação do século XXI para equilibrar as necessidades da fauna bravia e das pessoas. O PNG está a proteger e salvar esta bonita natureza selvagem, devolvendo-o ao seu devido lugar como um dos maiores parques nacionais da África.

O PNG foi descrito como um dos mais diversos parques da Terra, cobrindo uma vasta extensão de 400.000 hectares. Nos últimos anos, o Projecto da Gorongosa, com o apoio da Administração Nacional de Áreas de Conservação de Moçambique (ANAC), garantiu a protecção de uma população em recuperação de Leões neste ecossistema, reduziu com sucesso ameaças-chave e viu o Parque reconhecido como um dos “Last Wild Places” pela National Geographic e como um dos “World’s Greatest Places” pela TIME Magazine.

Se desejar receber mais informações sobre este assunto, por favor ligue para Vasco Galante através de +258 82 2970010 (WhatsApp) ou envie email para vasco@gorongosa.net.

Para mais informações sobre o Programa Paleo-Primata, por favor consulte:
https://gorongosa.org/projecto-paleo-primata/?lang=pt-pt
Para informações de carácter genérico, por favor consulte http://www.gorongosa.org

Pode seguir as actividades quotidianas do Parque Nacional da Gorongosa aqui:
https://www.facebook.com/gorongosa/

Leave a Reply

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: