As populações de mabecos do Parque Nacional da Gorongosa continuam a crescer.

Nota de Imprensa 12 de Março de 2021

Em Março, o Endangered Wildlife Trust transferiu dois novos grupos (nova genética) de mabecos da África do Sul para o Parque Nacional da Gorongosa.

Estes grupos incluíram uma alcateia recém-formado de seis elementos, com machos do Parque Hluhluwe-iMfolozi e fêmeas da Reserva de Lapalala. Estas novas chegadas incluíram dois machos que já dominaram uma das alcateias de maior sucesso da África do Sul, uma equipa de fêmeas caçadoras de búfalos e uma fêmea chamada “Teardrop”.

Membros de Clubes de Raparigas da Gorongosa atribuíram nomes aos mabecos na véspera da sua libertação.

Três mabecos machos nascidos na Gorongosa em 2019 (a primeira ninhada nascida no Parque em décadas) também foram translocados para a Reserva Karingani em Março para se relacionarem com as fêmeas antes da sua reintrodução em novas áreas no Malawi no final deste ano. Entretanto no Parque, a temporada de criação de mabequinhos está apenas a começar – o que significa que novos filhotes chegarão em breve!

Em 2018, graças ao Projecto “Wild Dog Range Expansion”, os primeiros Mabecos (Lycaon pictus) foram reintroduzidos no Parque Nacional da Gorongosa e, um ano depois, a Karingani Game Reserve recebeu a sua primeira alcateia. Ambas as áreas protegidas de Moçambique foram identificadas como espaços viáveis para reintroduções de Mabecos, mas ninguém podia prever o quão bem essas alcateias se iriam adaptar. As alcateias de Mabecos instalaram-se nas suas novas casas, reproduziram-se e criaram os seus filhotes, e vimos como os recém-chegados a Moçambique chegaram à idade adulta e se dispersaram das alcateias originais para começarem novas alcateias.

Com apenas cerca de 6.600 Mabecos existentes em África, este animal espectacular é um dos carnívoros em maior risco do continente, e é listado pela IUCN como “Em perigo”. É necessária uma acção urgente para salvá-los, e uma estratégia de conservação chave é a reintrodução de alcateias em habitats viáveis onde eles ocorreram. O Mabeco é um nativo canídeo da África Subsaariana, é o maior canídeo indígena da África e o único membro existente do género Lycaon. O Mabeco possui as adaptações mais especializadas entre os canídeos pela cor da sua pelagem, pela sua dieta e por perseguir as suas presas graças a uma grande capacidade de corrida. Possui um esqueleto ágil, e a perda do primeiro dedo nas suas patas dianteiras aumentou o seu passo e velocidade.

Dois objectivos principais do “Wild Dog Range Expansion“, um projecto liderado pelo “Endangered Wildlife Trust”, são aumentar continuamente o espaço seguro para mabecos e os seus números em África. Com o sucesso de Moçambique, podemos agora utilizar Mabecos destas áreas protegidas e permitir que se tornem pioneiros de Mabecos num novo espaço seguro que se tornou disponível através de grandes esforços de restauração.

A equipa multi-disciplinar que garantiu a translocação dos Mabecos

No dia 9 de Março, Mabecos machos do Parque Nacional da Gorongosa foram transportados de avião para a Karingani Game Reserve e colocados temporariamente numa zona vedada – esta é a primeira relocalização interna de Mabecos em Moçambique. A próxima fase do projecto será capturar e colocar Mabecos fêmeas da Karingani Game reserve no compartimento adjacente, com a esperança de que eles se aproximem dos seus novos vizinhos. Quando houver evidência de coesão entre os dois grupos, eles poderão interagir e fortalecer esse vínculo antes de serem transportados para a sua nova casa.

Obrigado aos seguintes parceiros por tornar este projecto (#wilddograngeexpansionproject) possível:

  • Endangered Wildlife Trust
  • Parque Nacional da Gorongosa
  • Karingani Game Reserve
  • ANAC
  • African Parks
  • Painted Wolf Wines
  • The OAK Foundation

Sobre o Projecto da Gorongosa

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG) em Moçambique é talvez a maior história de restauração da vida selvagem em África. Em 2008, foi estabelecida uma Parceria Público-Privada de 20 anos para a gestão conjunta do PNG entre o Governo de Moçambique e a Fundação Carr (Projecto de Restauração da Gorongosa), uma organização sem fins lucrativos dos EUA. Em 2018, o Governo de Moçambique assinou uma prorrogação do acordo de gestão conjunta por mais 25 anos. Ao adoptar um modelo de conservação do século XXI para equilibrar as necessidades da fauna bravia e das pessoas. O PNG está a proteger e salvar esta bonita natureza selvagem, devolvendo-o ao seu devido lugar como um dos maiores parques nacionais da África. O PNG foi descrito como um dos mais diversos parques da Terra, cobrindo uma vasta extensão de 400.000 hectares. Nos últimos anos, o Projecto da Gorongosa, com o apoio da Administração Nacional de Áreas de Conservação de Moçambique (ANAC), garantiu a protecção de uma população em recuperação de Leões neste ecossistema, reduziu com sucesso ameaças-chave e viu o Parque reconhecido como um dos “LastWild Places” pela National Geographic e como um dos “World’s Greatest Places” pela TIME Magazine.

Se desejar receber mais informações sobre este assunto, por favor ligue para Vasco Galante através de +258 82 2970010 (WhatsApp) ou envie email para vasco@gorongosa.net.

Para informações de carácter genérico, por favor consulte www.gorongosa.org

Pode seguir as actividades quotidianas do Parque Nacional da Gorongosa aqui: https://www.facebook.com/gorongosa/

Leave a Reply

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: