Assinatura de Memorando de Entendimento entre o Projecto de Restauração da Gorongosa e o Instituto de Amêndoas de Moçambique

O Projecto de Restauração da Gorongosa (PRG) e o Instituto de Amêndoas de Moçambique (IAM) assinaram, na cidade de Maputo um Memorando de Entendimento, com o objectivo de estabelecer mecanismos de colaboração e de complementaridade que permitam a execução de acções no âmbito da cadeia de valor do caju que contribuam para a melhoria das condições de vida e de renda de cerca 4.000 (quatro mil) de famílias vivendo em comunidades situadas ao longo da Zona Tampão do Parque.

Este Memorando terá a duração de 5 anos e irá permitir que a materialização da colaboração entre as Partes seja realizada através de acções inseridas em 3 (três) principais linhas estratégicas:
(a) Fomento da cultura do caju mediante a sua produção orgânica;
(b) Processamento e adição de valor mediante a instalação de uma unidade fabril que potenciará o aproveitamento integral do caju;
(c) Cooperação técnica entre as partes com enfoque nos produtores dos Distritos a abranger.

Greg Carr, Presidente do Projecto de Restauração da Gorongosa e Ilídio Afonso Bande, Director Geral do IAM-IP.

Durante a cerimónia de assinatura, Greg Carr, Presidente do Projecto de Restauração da Gorongosa declarou que: ‘’No próximo ano, vamos plantar 200.000 cajueiros, a caminho de 2 milhões de árvores. O caju pode ser a maior indústria na nossa província e um novo meio de vida para os ex-combatentes e todas as famílias de agricultores.’’

Sobre o IAM-IPO

Instituto de Amêndoas de Moçambique – IP (IAM) que extinguiu o “Instituto de Fomento do Caju”, foi criado em Junho de 2020, alargando o espectro da acção deste Instituto também para outras amêndoas com particular ênfase para a macadâmia que vem ganhando espaço e estrategicamente também irá representar um ganho para o país. O instituto é a entidade responsável pela formulação de políticas de fomento, produção, comercialização, processamento, industrialização e exportação das amêndoas no país, por forma a promover o desenvolvimento das culturas de amêndoas.

Importa referir que o mercado de amêndoas a nível global é de cerca de noventa e dois biliões de dólares e Moçambique tem explorado a sua franja no domínio do caju.

Sobre o Projecto da Gorongosa

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG) em Moçambique é talvez a maior história de restauração da vida selvagem em África. Em 2008, foi estabelecida uma Parceria Público-Privada de 20 anos para a gestão conjunta do PNG entre o Governo de Moçambique e a Fundação Carr (Projecto de Restauração da Gorongosa), uma organização sem fins lucrativos dos EUA. Em 2018, o Governo de Moçambique assinou uma prorrogação do acordo de gestão conjunta por mais 25 anos. Ao adoptar um modelo de conservação do século XXI para equilibrar as necessidades da fauna bravia e das pessoas. O PNG está a proteger e salvar esta bonita natureza selvagem, devolvendo-o ao seu devido lugar como um dos maiores parques nacionais da África.

O PNG foi descrito como um dos mais diversos parques da Terra, cobrindo uma vasta extensão de 400.000 hectares. Nos últimos anos, o Projecto da Gorongosa, com o apoio da Administração Nacional de Áreas de Conservação de Moçambique (ANAC), garantiu a protecção de uma população em recuperação de Leões neste ecossistema, reduziu com sucesso ameaças-chave e viu o Parque reconhecido como um dos “Last Wild Places” pela National Geographic e como um dos “World’s Greatest Places” pela TIME Magazine.

Se desejar receber mais informações sobre este assunto, por favor ligue para Vasco Galante através de +258 82 2970010 (WhatsApp) ou envie email para vasco@gorongosa.net.

Para informações de carácter genérico, por favor consulte http://www.gorongosa.org
Pode seguir as actividades quotidianas do Parque Nacional da Gorongosa aqui:
https://www.facebook.com/gorongosa/

Leave a Reply

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

%d bloggers like this: